Thursday, March 17, 2016

ECOSSISTEMA DA CRISE, UMA FÁBULA.

ECOSSISTEMA DA CRISE, UMA FÁBULA.
O presunto está na mesa batendo aquele papo com o queijo branco:
-cadê a manteiga? Não apareceu aqui hoje....também pudera né? Se envolveu com o lado ruim, o salame e a mortadela! Só porque a mortadela fez uma revolução nas mesas país afora?, essa mortadela não me engana! "  o queijo branco, alvo como ele só, acima de todas essas pequenas trivialidades, tenta maneirar: -que isso, presunto! Você só chegou às mesas menos ricas por causa do que a mortadela fez! Vai negar? Se não fosse a mortadela, nem tu nem eu faríamos parte de tantos lares humildes! Então entra no papo o requeijão, a elite, o cremoso e gostoso: "eu vou falar com a vaca...o supremo poder. Porque quase todos nós viemos dela. Eu, o leite, você manteiga...o chato do queijo amarelo....o cottage está de férias na Europa. Também pudera! Esse só em mesas da elite! Tem aposentadoria boa...igual a Ricota, aquela trampeira...vive na America!.
Nessa hora chega um emissário a mesa: o Café. Este pode falar com autoridade. Este é do povo....presente nos botecos, nas esquinas de todo esse país de gente feliz e de cor bronzeada, gente bonita. E ele chega botando banca:
-Andei por aí, da ponta do sul à ultima mesa do cariri....e vi o povão falando de tudo: é duro ver a vaca dizer que não sabe....e o pior é que a insatisfação está se espalhando....como eu apareço em várias mesas ao longo do dia, eu já vi que espalhou para o almoço, o lanche da tarde, do qual só a manteiga me acompanha com o pão, que é surdo, cego e mudo, e que não conta. Eu acho que os legumes e toda a dispensa vão às ruas. Falei com a batata...ih...olha um pedaço de mamão ali na ponta da mesa! Corre lá, pergunta pra ele como é que tá a situação na fruteira!....sei não...diz o café. Esse aí é playboy....coisa de zona sul...Ipanema, Morumbi,lago sul....confio não...mas vou lá.
Ô mamão, tá dando ruim lá? Pergunta o café. - cara....brother, as gatas de suplex que vinham me dar mole sumiram! Como eu tenho saudade de estar naqueles corpos maravilhosos...e as madames de 45? Cheirosas...nunca mais. E é tudo culpa dele, do chefão....as carnes, que são o poder central, estão acuadas....óbvio que os legumes e vegetais são os marias vão com as outras...
E então a Banana aparece, andando de viés na beirada da fruteira e grita: É HORA. TIRAR O CHEFE! O filet MIGNON tem que cair! Cheguei ao limite! Fora o poder das carnes! O ministério só tem carnes vermelhas!! Sempre eles! Vamos fazer manifestação? Completa a banana.
Vamos! Diz o açúcar, até então só escutando. Vamos nos encontar no corredor principal do hipermercado. Vamos organizar um "mercadaço" em todo o país! Ao meio dia, quando as donas de casa estiverem por lá, a gente faz a derrubada, caimos uns sobre os outros, e vamos chegar até o açougue! Ao centro do poder!
-esse açúcar sabe das coisas...tão doce, tão gostoso...mas enganou a gente direitinho! Ele é cruel!, diz a geléia diet...sempre tão feliz.
-sou doce mas faço estrago de dentro pra fora...você ainda não viu nada! Você é diet, é light "cool"demais...vai se enroscar com o magrelo do cream cracker....gringo azedo ele.
Bom, continua o açúcar: vamos caindo até chegar ao açougue....os refrigerantes, apesar de falsos, sao pesados e podem cair matando!...aí pegamos o FILÉ, o boss, o chefão. Só que temos que convencer o aliado dele a trair o safado. Quem? Pergunta o mamão. O SAL GROSSO!, diz o açúcar. -esse é osso duro...mas não aguenta mais...tem sido usado em tantos banhos país afora que está frafo, cansado demais para defender as carnes. O chefe não pode mais fugir....a revolta dominou todo o ecossistema.... Sem o apoio da vice PICANHA, das carnes de segundo escalão, e de nós, os legumes, verduras, sucos, frutas, laticinios, etc...ele não se sustenta!

É hora da revolução vegetariana! (Diz o brocolli, à essa altura todos conversando dentro da geladeira, para não vazar para o freezer!) - é hora de um mix de gêneros: salada de fruta, vegetais, grãos, etc. MENOS AS CARNES VERMELHAS!
Diz a alface. APOIADA! Dizem todos os grupos. Vamos extirpar esse mal dessas mesas! Afinal, somos todos saudáveis, santos....só fazemos o bem, não é mesmo? Somos inocentes eternos! ,diz o feijão. Humm, sei não....esse açúcar aí, esse presunto....acho que a farinha vai ser a mesma canalha de sempre...
Ihhh....começará tudo outra vez....NÃOOO! PUTZ!! Finalizam  o arroz, feijão e o ovo.