Thursday, August 6, 2009

SER "Carioca", é ser como? um papo sem pe nem cabeca em uma rua da Florida.

Um amigo aqu dos states me disse outro dia uma coisa que bateu no peito: disse ele- cara, sabia que a maioria dos cariocas não sabe o valor de ser carioca?? ,eles sabem somente de um dos lados da cidade, e ser carioca é uma diplomação para se viver em qualquer lugar do mundo !.Como carioca de Ipanema, ele deu seu testemunho. Eu, carioca nascido em Botafogo,que viveu na baixada ate a familia fincar bandeira na Barra em 1985,passo aqui para voces a minha versão desse importante papo,resumido, é claro.ele continua falando (risos), :

"O carioca que se preza transita não somente onde nasceu...se é de Ipanema, tem que ir para a Barra, para Vila isabel, para a baixada.Eu sempre fiz isso,saia da barra para ir comer na Baixada, e quando vivi na baixada, ia para ipanema como se ia para nova iguaçú.

O carioca que souber aproveitar essa versatilidade que a cidade ofereçe, sai diplomado em todo tipo de malandragem, no bom sentido do termo: tem que pegar um pouquinho de cada coisa..ir ao samba na Portela,na mangueira,ir a lapa, ainda que essa de plastico, de hoje em dia...mas que dá para o gasto.Tem que ir aos lugares que as revistas não mostram.

ai eu emendei:

""Carioca que é carioca vai a praia, toma uma cerveja,mas também malha, se cuida, sabe se mexer pela cidade.Vai da pavuna a barra numa boa, ele é o cara que é bem chegado, tem "contexto" em todo canto,e quando chega no samba, mesmo sendo branquelo e sem jeito de "bamba", é considerado pela "velha guarda" como um cara esperto!.É o cara que come a feijoada e bebe a cerveja seja no geros, ou na tia doca, lá em madureira...come no porcão de ipanema mas tambem no "podrão"da praça saens pena.""

Aí, depois de umas 2 horas de papo, regados a um bom whisky escoces 12 anos, e muitos "belisquetes" depois, ficamos eu e o "figuraça" do meu amigo (amigo mesmo, coisa de 10 anos de amizade, já que foi o primeiro cara que conheci aqui na Florida quando cheguei por estas plagas, em 2001, 1 semana depois de ter casado) pois é, ficamos olhando a rua em frente ao bar em que estavamos,na International drive, e ele vira e entra com essa: "voce é um cara carioca , eu não!" aí eu viro e digo : "é...eu tenho meus momentos cariocas, tenho amigos em quase todas as areas do rio,ja desfilei em TODAS as escolas de samba em um unico dia, e assisti a os 2 dias de desfiles NA PISTA do sambodromo,passei uma madrugada inteira ouvindo um show particular de TIM MAIA no apartamento dele,tomando jack daniels, eu e o Alex Mello (testemunha ocular). mas VOCE é o cara!, voce nasceu e viveu em ipanema ate vir para os EUA,voce vieu o desbunde dos anos 70,voce comeu a fulana de tal, que todo o brasil queria comer ! porra !(mais risos)". Bom, pra finalizar essa cronica carioca descompromissada de hoje, ele fecha com essa: "mas voce fala giria,e namorou atriz da globo. eu não...porra!" ou seja, papo de bebum, que não deu em lugar nenhum!


P.S : dedico essa cronica para Alexandre wannick e Marcio "urso"alcantara, que assim como esse amigo do papo acima, tambem sao cariocas da "gema", e de alma, e tambem curtiram,e curtem, COMIGO, muitos momentos cariocas. cheers ! !

********
Estive em toronto, no canada, essa semana que passou, por 4 dias, e fiquei admirado como uma cidade pode ser tão linda...a cada dia que passa mais vejo que existem várias "cidades do meu coração"..daqui há uns 5 anos, elegerei a que me for melhor e então fincarei bandeira para sempre...mas dessas todas, los angeles ainda está liderando, com orlando em segundo e san francisco em, terceiro.

********
hoje é só, amanha tem a coluna que dá continuidade aos grandes personagens de ipanema. amanha....TOM JOBIM E RONALDO BOSCOLI.

Saturday, July 18, 2009

AS LENDAS QUE CONTAM SOBRE OS EUA. POR Manoela Granja, de NYC

hoje vou postar um artigo muito bacana de uma jornalista que está morando em New York, ela conta, de um jeito rápido e objetivo, como são errados os mitos que os brasileiros tem sobre os EUA. a versão é em portugues e em ingles. feitas por ela mesmo.

E como é importante acabar com esses estereótipos cada vez mais sem senido né....sejamos todos globalizados e open minded!

aqui vai o artigo. Boa leitura!


AS LENDAS QUE SE CONTAM SOBRE OS EUA
Por Manoela Granja, de NYC

Uma vez recebi um e-mail dizendo que aqui nos EUA os professores ensinavam nas escolas que a amazônia é americana. Enviaram até a foto de um livro com o mapa do Brasil sem a floresta. Procurei na internet esse livro, em livrarias e nada. E o mais interessante é que aqui as crianças não aprendem geografia na escola.


Quando resolvi vir morar em Nova York, o que mais as pessoas falavam era: cuidado para não se tornar uma pessoa fria. Bem, acho que tive muita sorte porque até agora só conheci pessoas alegres, educadas e atenciosas. Tudo bem que eles jamais vão te dar aquele abraço típico dos brasileiros, mas vão te cumprimentar com o maior sorriso. Não existe a qualificação “colega” para eles. Ou o americano é seu amigo ou não é. Não tem meio termo. E quando são, fazem de tudo para te ajudar. São tão fiéis ao ponto de oferecer a casa deles para você morar.


Mudei minha opinião depois que cheguei aqui. E parei de comparar o povo americano com os políticos americanos. Essa é a imagem que muitos de nós temos. Que eles se acham os melhores do mundo e que não estão nem aí para o resto do planeta. Até deve existir pessoas assim, mas pode ter certeza não é a maioria.

Quando falo que sou do Brasil, eles abrem um sorriso. E sempre me perguntam o que o povo brasileiro acha dos EUA. A última pessoa quis saber o que os brasileiros achavam do Obama. Se torceram por ele, esse tipo de coisa. Disse que sim. Que ele tinha uma boa imagem lá e que as pessoas que conheço torciam por ele. E aí ela me perguntou se o Brasil estava orgulhoso por eles terem colocado um negro na casa branca. Falei que isso foi bom para mudar a imagem que os brasileiros têm dos Estados Unidos e que todos estavam esperançosos e confiantes. A americana que me olhava atentamente chorou. “Espero que ele nos tire dessa crise e consiga mudar essa situação logo. Espero que um dia todos tenham orgulho de nós. O povo americano tem bom coração”, disse ela.
===================
One time I received an email saying that here in the U.S.A teachers teach in schools that amazon is American. Sent to the photo of a book with the map of Brazil without the forest. Searching the Internet this book in bookstores and didn’t find anything. And the most interesting is that children do not learn geography in school here.


When I decided to come live in New York, what people were saying: be careful not to become a cold person. Well, I think I was very lucky because so far only met people happy, polite and courteous. All though they will never give you that hug typical of Brazilians, but will greet you with a smile. There is no qualification "almost friend" for them. Or the american is your friend or not. Has no middle ground. And when, do everything to help you. They are so loyal to the point of offering them house for you live.

I changed my mind after I got here. And stop comparing the American people with American politicians. This is the image that many of us have. They find the best in the world which are not there for the rest of the planet. So there must be people well, but you can be sure is not the majority. When I say I am from Brazil, they offer a smile. And always ask me what the population thinks about the U.S.. The last person wanted to know what the Brazilians thought of Obama.

If rooting for him, that kind of thing. Said yes. He had a good image out there and I know that people rooting for him. And then she asked if Brazil was proud that they put a black in the white house. Said that it was good to change the image that Brazilians have of the United States and that all were hopeful and confident. The American girl looked to me and cried. "I hope he get out this crisis and this situation will change soon. I hope that one day all of us have pride. The American people have a good heart", she said.

p.s>> se voce gostou do artigo, entre no site da manoela!/if you liked the article, go visit manoela's blog!

http://www.nycweek.blogspot.com/

Thursday, June 25, 2009

UM ICONE DA MUSICA DEIXA O MUNDO TRISTE/AN ICON LEAVE THE MUSIC AND THE WORLD IN GRIEF.


UM ICONE DEIXA A MUSICA TRISTE HOJE. GOODBYE, KING OF POP.

PARA MIM , QUE SOU MUSICO, E PARA TODOS QUE GOSTAM DE BOA MUSICA, A MORTE DE MICHAEL JACKSON PARECE A XONTINUIDADE DE UM CICLO DE GRANDES ICONES QUE ESTAO NOS DEIXANDO POUCO A POUCO.
NESSES TEMPOS DE ARTISTAS INSTANTANEOS APARECENDO A CADA MINUTO E FAZENDO VERDADEIRA A FRASE DE ANDY WHAROL,DE QUE NO FUTURO TODOS TERIAM SEUS 15 MINUTOS DE FAMA, FOI TRISTE SABER DA NOTICIA.

CRESCI OUVINDO MUITA BLACK MUSIC COM A MOTOWNRECORDS E MICHAEL, TENHO PASSAGENS QUE FICARAM NA MEMORIA AO SOM DELE, COMO NA ESTREIA AMERICANA DE "BLACK OR WHITE" EM PREMIERE MUNDIAL MA MTV, QUANDO AS RUAS DE HOLLYWOOD, ONDE EU MORAVA, FICARAM DESERTAS PARA ASSISTIR A ESTREIA, E DEPOIS AS PESSOAS SE TELEFONAVAM PARA FALAR DO CLIP. EU ESTUDAVA NO MUSICIANS INSTITUTE, ALI NA HOLLYWOOD BOULEVARD, E VIA A ADMIRACAO DOS PROFESSORES E ALUNOS COM O ICONE.

ESTOU TRISTE NAO PELO FATO DA MORTE EM SI, QUE E UMA COISA NATURAL, MAS POR SER TAO CEDO. JACKSON AINDA TINHA LENHA PARA QUEIMAR E ESTAVA ENSAIANDO PARA A TOUR DE DESPEDIDA EM LONDRES, DAQUI A 2 MESES. UM ALBUM INEDITO ERA A PROXIMA ESPERANCA DOS FAS.

QUE A PARTIDA DE MICHAEL SEJA O INICIO DE ARTISTAS DE VERDADE, QUE DANCEM, SAPATEIEM E CANTEM COMO EL FAZIA E TANTOS OUTROS. QUE A MUSICA DE PLASTICO E INSTANTANEA DE HOJE POSSA DAR LUGAR AOS VERDADEIROS ARTISTAS, AQUELES QUE, COMO ELE, SURGIRAM DE SI PROPRIOS E NAO DE SINTETIZADORES E ENCUBADORAS ARTIFICIAIS DAS GRAVADORAS.

COMO ELE DIZIA EM UMA DE SUAS MUSICAS:

""I JUST CAN'T STOP LOVING YOU""

*********************************************************************

AN ICON LEAVES US, AND WE ARE SAD TONITE. AND I PAY MY RESPECTS TO THE ICON AND TALENTED GENIOUS.



FOR ALL MUSICIANS ,LIKE ME, AND FOR ALL MUSIC FANS OUT THERE, TODAY IS A SAD DAY.HIS DEATH MAY BE THE END OF ERA OF GREAT ICONS THAT HAD BEEN LEAVING US ,LITTLE BY LITTLE.
AT TIMES OF INSTANT CELEBS POPPING UP EVERY MINUTE AND BRINGING WHAROL'S FAMOUS QUOTE TO LIFE, IN WICH HE SAID THAT, IN THE FUTURE EVERYBODY WILL HAVE 15 MINUTES OF FAME,IT JUST DON'T FEEL RIGHT SEEING JACKSON PASS AWAY.

I GREW UP LISTENING TO HIM AND ALL MOTOWN ARTISTS, AND I HAVE MOMENTS IN MY LIFE THAT WILL STAY IN MY MIND THAT WERE SOUNDED BY HIS SONGS. I CAN REMEMBER THE PREMIERE OF THE VIDEO "BLACK OR WHITE" , I WAS LIVING IN HOLLYWOOD BACK THEN AND THE STREETS WERE SO EMPTY AT THE TIME THEY AIRED THE VIDEO , I ACCTUALLY WERE AMAZED BY THAT.
ALL THE FACULTY AT THE MUSICIANS INSTITUTE , WHERE I WAS STUDYING MUSIC AT THE TIME, SHOWED A GREAT RESPECT FOR HIS MUSIC.

DEATH IS A NATURAL PATH FOR EVERYBODY, BUT I AM SAD BECAUSE I TOUGHT HE COULD STILL ADD UP MORE QUALITY TO TODAY'S MUSIC AND HE WAS REHEARSHING FOR THE CONCERTS IN LONDON, NEXT AUGUST. THE TICKETS WERE ALL SOULD OUT IN 2 WEEKS.

MAY THE ABSENCE OF MICHAEL BRING US A NEW ERA OF REAL ARTISTS,LIKE HE WAS(HE WILL ALWAYS BE, BECAUSE HIS MUSIC IS IMMORTAL)
AND NOT THOSE FAKE-INSTANT POP SINGERS THAT WE SEE TODAY. MAY THE REAL TALENTS LIKE HIM, HIDDEN EVERYWHERE OUT THERE, EXPRESS THEMSELF AGAIN AND BE HEARD BY THE MAJOR LABELS, THE SAME LABELS THAT ARE,NOWADAYS, CREATING PLASTIC SONGS PERFORMED BY PLASTIC ARTISTS,SUPPORTED BY THE MAINSTREAM RECORD COMPANIES AND IT'S SMALL BRAIN PAYROLL PRODUCERS.

LIKE HE SAID IN ONE OF HIS SONGS:

"" I JUST CAN'T STOP LOVING YOU""

Friday, May 22, 2009

OBRIGADO,TIO PATINHAS


Vi esse texto dia desses e quis postar aqui. queria ter escrito esse texto,pois tio patinhas esta na minha vida desde cedo, obrigado e parabens ao jornalista Eduardo Vinhas.
A sensação de ter nas mãos um tesouro é algo raro, e é lamentavel que ao nos depararmos com um, possamos incorrer no erro de não saber o que temos em mãos. Isso aconteceu bastante na juventude de um jovem imigrante escocês que foi à América em busca de fortuna para si e glória para sua família. Custou a ele perceber qual o real valor dos tesouros que ele conquistou, mas posteriormente ele passou a ter um reconhecimento mais rápido das grandes riquezas que lhe passariam pelas mãos. E quando o percebia, abria um largo sorriso de empolgação juvenil e exibia um olhar de um brilho aparentemente inabalável. E não há de ser diferente o rosto do leitor que tiver a chance de ler "A Saga do Tio Patinhas", publicada em dois volumes (o primeiro já está nas bancas e o segundo sairá no final de julho) pela Editora Abril. Ah, sim! O jovem a quem me refiro é o próprio Patinhas McPatinhas.

"The Life And Times Of Scrooge McDuck" foi publicada originalmente em 1992 na revista Anders & Co. n.º 33, regida pelo grupo editorial dinamarquês Egmont, que distribui os personagens Disney na Dinamarca, Suécia, Noruega e Finlândia - países onde os personagens tem altíssima popularidade, bem mais que no Brasil. Foi resultado de um projeto de pouco mais de dois anos desenvolvido pelo argumentista e desenhista americano Keno Hugo Don Rosa, ou simplesmente Don Rosa.

Desde sua primeira publicação, "The Life And Times Of Scrooge McDuck" vinha sendo ansiosamente aguardada por leitores brasileiros, que esperavam contemplar a saga do menino pobre que abandonou Glasgow para percorrer o mundo em busca de fortuna e acabou se tornando o pato mais rico do mundo. A espera acabou, e fica plenamente recompensada. Impressa em comemoração aos 40 anos da revista Tio Patinhas, a edição nacional é bem cuidada, apesar de não trazer luxos em seu acabamento e de ter reduzido alguns balões de texto. É verdade que Rosa escreve bastante e que a história não é prejudicada, mas perdem-se umas frases de efeito. É o único senão em uma obra para se ter, ler e reler.

Don Rosa passou os dois anos do projeto debruçado sobre a obra completa de Barks, colhendo dados sobre a biografia e história dos integrantes da família Pato. Feito isso, ainda examinou o trabalho de outros artistas de renome, como o americano Tony Strobl e o italiano Abramo Barosso, e pesquisou dados históricos reais referentes às datas citadas. Dessa forma, traçou a árvore genealógica dos patos e cuidou de garantir a interação com figuras notórias da história dos Estados Unidos, como os irmãos fora-da-lei Frank e Jesse James, o grande criador de gado Murdo McKenzie e o presidente da nação Theodore Roosevelt. O resultado enche de êxtase e mareja os olhos de quem já se sentiu feliz, em qualquer idade, por ler uma revista do Tio Patinhas.

A personalidade do menino ingênuo e ambicioso vai sendo transformada pelas aventuras e privações de sua dura jornada. Da resistência ao vilipêndio cometido pelo desonesto clã MacWhisker até seu encontro com uma ainda infante (e arrogante) John D. Patacôncio, Patinhas faria muitos inimigos e tornaria-se um homem desconfiado. Todavia também encontraria muitos amigos e pessoas de grande importância, desde o engenhoso Mestre Pardal, cujo neto (o professor Pardal) lhe ajudaria muito no futuro até o amor de sua vida, a corista Dora Cintilante, que o impediriam de tornar-se um pato rabugento e amargurado (o que até aconteceria por um curto período).

O primeiro volume é totalmente focado na juventude de Patinhas, e em seu amadurecimento residem as telas para o talento de Rosa ser emoldurado. Seu encontro no Céu com seus antepassados concilia humor infantil e arte plácida para que várias gerações da família McPatinhas antecipem o futuro do último de seus descendentes. Uma cena inominável no terceiro capítulo envolve cavalos em fuga, búfalos carregando ossos de dinossauros, um urso furioso, um touro escocês, criminosos e índios apavorados, tudo sobre o olhar atônito de Roosevelt - tudo em um único quadrinho! Em outra ocasião, aos 20 anos de idade (nascera em 1867 e faleceria em 1967), ele busca vingança contra um andarilho desonesto que o deixara à morte no coração da savana africana. A seqüência do acerto de contas vem com tanta fúria e sentimento justiceiro que não há como ocultar murmúrios (e até uns brados) de êxtase pela vitória. (Não se conta mais sobre esse episódio para não estragar outra boa surpresa. Basta dizer que é o sexto capítulo).

No segundo volume, cai por terra o mais estúpido e preguiçoso argumento dos detratores de quadrinhos: o que reza que os personagens não têm pai nem mãe, literalmente. Pois ao se estabelecer definitivamente na América, o já milionário Patinhas, em companhia de suas irmãs Matilda e Hortência, conhece o casal Tomás Reco e Donalda Patus, e seus três filhos: Patolfo, Patrícia e Patoso. O último se casaria com Hortência e eles teriam dois filhos: o Pato Donald e a Pata Dumbela. Dumbela, por sua vez, teria filhos trigêmeos com um pato desconhecido (leia e confira!), meninos que viriam a ser cuidados por seu irmão. Claro que estamos falando de Huguinho, Zezinho e Luisinho. Patolfo se casaria com Ana Dora e seria o pai de Peninha e Zeca Pato, enquanto Patrícia, casada com o escroque Gustavo Ganso, teria o Ganso Gastão, herdeiro da sorte da mãe e do pedantismo do pai. A completíssima árvore genealógica concebida por Rosa ainda contempla antepassados de outros personagens, praticamente todos interligados ao trabalho do mestre Barks. Só para se ter uma idéia, até Bicudo, um sobrinho da Vovó Donalda que aparecera em uma única história de Barks, ganha aqui sua justificativa de existência.
O visual é notável: o traço de Don Rosa combina o padrão estabelecido por Barks para os patos com detalhismo cínico (sempre tem uma piada subliminar em cada página - pode procurar) e ainda recebe uma certa dose de realismo. Patópolis nunca pareceu tão real e verossímil quanto aqui, uma cidade com história e arquitetura próprias e muito peculiares. Claro que isso ficaria melhor em uma revista de formato americano, mas o formatinho tradicional da Editora Abril não chega a comprometer.

O mais belo disso tudo é que, apesar dos exageros inerentes a esse tipo de HQ, Patinhas McPatinhas é um personagem absolutamente cativante, deixando de ser o capitalista superficial que costuma ser na mão de roteiristas obtusos. E parte desse carisma brota na eterna busca por felicidade plena empreendida pelo pato, busca a qual todos nós nos dedicamos com maior ou menor afinco. Como muitos de nós, Patinhas percebe que a os momentos felizes são transitórios e que a plenitude nunca se faz presente em todas as áreas de sua vida. Entretanto, há riquezas nada fugazes que passam velozmente pelas nossas mãos, e se soubermos reconhece-las e aproveitá-las, não nos faltará alegria e esperança ao longo da vida. O personagem, mesmo apegado aos seus bilhões, descobre isso no segundo volume dessa saga. Acredite: a diversão e a beleza dessa bela epopéia, ainda que seja "uma simples histórias em quadrinhos", é uma preciosidade desse tipo. Agarre-a e a tenha para toda a sua vida. Para sempre ter onde recorrer em busca de sorrisos e renovação de esperanças, para não viver apenas acordando um dia após o outro.

Obrigado,tio Patinhas, por ceder sua vida ao Don como um palco para o que a vida tem de mais simples e grandioso, sombrio e divertido!

STAY SAFE.